Orientação de Pais

[Livro] As crianças aprendem o que vivenciam

Você é mãe? Pai? Não deixe de ler esse texto. Não deixe de compartilhar com outras mães e pais ou mesmo futuros pais, o conteúdo destas pequenas frases que nos levam a refletir sobre a relação entre pais e filhos e o impacto da  convivência familiar na construção da personalidade das crianças.

Espero que ele possa servir como um guia e inspiração para todos os pais nessa missão de educar seus filhos.


As crianças aprendem o que vivenciam

Se as crianças vivem ouvindo críticas, aprendem a condenar,
Se convivem com a hostilidade, aprendem a brigar.
Se as crianças vivem com medo, aprendem a ser medrosas.
Se as crianças convivem com a pena, aprendem a ter pena de si mesmas.
Se vivem sendo ridicularizadas, aprendem a ser tímidas.
Se convivem com a inveja, aprendem a invejar.
Se vivem com vergonha, aprendem a sentir culpa.
Se vivem sendo incentivadas, aprendem a ter confiança em si mesmas.
Se as crianças vivenciam a tolerância, aprendem a ser pacientes.
Se vivenciam os elogios, aprendem a apreciar.
Se vivenciam a aceitação, aprendem a amar.
Se vivenciam a aprovação, aprendem a gostar de si mesmas.
Se vivenciam o reconhecimento, aprendem que é bom ter um objetivo.
Se as crianças vivem partilhando, aprendem o que é generosidade.
Se convivem com a sinceridade, aprendem a veracidade.
Se convivem com a equidade, aprendem o que é justiça.
Se convivem com a bondade e a consideração, aprendem o que é respeito.
Se as crianças vivem com segurança, aprendem a ter confiança em si
mesmas e naqueles que as cercam.
Se as crianças convivem com a afabilidade e a amizade, aprendem que
o mundo é um bom lugar para se viver.

Doroty Law Nolte


Sobre a autora

Esse poema foi redigido por Dorothy Law Nolte, uma escritora americana e conselheira da família em 1954, para um pequeno jornal do sul da Califórnia. Foi a maneira que ela encontrou para dar respostas às perguntas dos pais e explicar o que significa ser pai ou mãe.

Na época ela não imaginava que ele iria atravessar as fronteiras e chegar a tantas famílias do mundo inteiro. Tornando-se um clássico nos cursos, treinamentos e orientações de pais. Ainda na década de 50 ela escreveu o livro: “As crianças aprendem o que vivenciam”, explicando de forma prática cada verso contido no poema. Se você é pai, mãe ou educador vale a pena a leitura.

5 necessidades emocionais que as crianças necessitam

Educar os filhos nunca foi fácil e nos dias de hoje então, nem se fala. Diversas teorias psicológicas indicam que o estilo de educar dos pais, tem forte influência no comportamento e desenvolvimento dos filhos, indicando bom desempenho escolar, social, emocional entre outros. As crianças necessitam que 5 necessidades emocionais sejam atendidas, como:

  1. Vínculos seguros com outros indivíduos (inclui segurança, estabilidade, cuidado e aceitação).

  2. Autonomia, competência e sentido de identidade.

  3. Liberdade de expressão, necessidades e emoções válidas.

  4. Espontaneidade e lazer.

  5. Limites realistas e autocontrole.

As crianças estão a todo momento prestando atenção nos pais e os observando, são como esponjas que absorvem a todo momento situações de aprendizados do seu dia-a-dia. Os pais são os primeiros exemplos.

O comportamento dos pais exerce forte influência sobre o aprendizado das crianças, e acreditem, elas prestam muito mais atenção em como os pais se comportam do que os ensinamentos dados de forma verbal.

Não é raro encontrar pais que falam que o filho precisa mudar, mas aí fica uma reflexão:

Será que são as crianças que precisam mudar ou será que são os pais que precisam mudar a forma como falam e convivem com seus filhos?

Não nascemos mãe ou pai, mas aprendemos a ser mãe e pai todos os dias, basta estarmos abertos para essa aprendizagem que servirá de crescimento para nós e para nossas crianças. Se continuarmos insistindo no estilo de educar “de sempre”, vamos continuar colhendo os resultados “de sempre”. Respire fundo. Faça algo diferente e encontrando dificuldades, procure profissionais que possam orientá-los.

cropped-famc3adlia.jpg

“As crianças aprendem mesmo o que vivem. E depois crescem para viver o que aprenderam”.

Dorothy Law Nolte

Referências:

As crianças aprendem o que vivenciam. (recurso eletrônico). Dorothy Law Nolte e Rachel Hassis; Rio de Janeiro: Sextante, 2011.

Terapia cognitiva focada nos esquemas: integração em Psicoterapia (recurso eletrônico)/Organizadores, Ricardo Waine…(et al.). – Porto Alegre: Artmed,2016

 

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s